Ter grandes perspectivas de futuro é a forma mais eficaz do jovem compreender que vale a pena investir nos estudos

Por Luciana Fleury

É um fato observado por educadores: ter uma perspectiva de futuro é a forma mais eficaz do jovem compreender que vale a pena investir nos estudos no momento presente. Por isso, a importância dos pais contribuírem para despertar em seus filhos esta visão. É a famosa construção de um projeto de vida, no qual ele vislumbra qual atuação profissional lhe atrai e que estilo de vida ele pretende adotar. Vale ressaltar, no entanto, que sonhar em ter uma profissão que lhe permita ter uma casa na praia, viajar para o exterior ou viver confortavelmente, como muitos jovens fazem, é só o começo de tudo. “Desenhar um projeto de vida é estabelecer objetivos a curto, médio e longo prazo, como querer se formar numa faculdade, adquirir um bem, casar. Metas que simplesmente terminam quando alcançadas e que podem até trazer frustrações, por parecem sem sentido depois de conquistadas. Já ter um projeto vital é algo maior, que talvez se passe a vida inteira buscando realizá-lo: por exemplo, quero constituir uma família e ser um bom exemplo para os filhos, ter um lar equilibrado; quero colocar minha atuação a serviço da sociedade e trabalhar para fazer com o que o mundo se torne um pouco melhor etc”, descreve Waldir Uller, doutor em Educação pela Universidade de São Paulo (USP) e autor do livro As Experiências Escolares e os Projetos de Vida dos Jovens.

O melhor, então, é ampliar as perspectivas dos filhos, ajudando-os a enxergar além dos benefícios diretos de se construir uma carreira e trabalhando valores maiores, como transformação social, inclusão, solidariedade. Os especialistas admitem que esta é uma tarefa complexa. “Estamos diante de uma sociedade de valores invertidos, muito voltada para o consumo e não para um posicionamento ético. São conceitos passados em novelas, propagandas, pela mídia. Por isso mesmo nos tempos atuais os jovens precisam ainda mais desta ajuda dos pais na construção de sua perspectiva futura. É algo difícil porque a vida moderna foi reduzindo os momentos de convivência entre pais e filhos, os adultos chegando ao final do dia de trabalho sem ânimo para conversar. Os pais precisam vencer o cansaço se envolverem com seus filhos e também cobrar que a escola cumpra seu papel, ajudando neste processo”, sentencia Ivany Pinto Nascimento, doutora em Psicologia da Educação pela PUC-SP e coordenadora do grupo de pesquisas em Juventude, Representações Sociais e Educação da Universidade Federal do Pará.

Veja como ajudar seu filho a construir uma visão positiva do futuro, com as dicas dos dois especialistas entrevistados. Todas as recomendações têm algo em comum: para serem viáveis, precisam de muitos momentos dedicados à conversa.

  1. Ajudar no Planejamento

Seu filho externou o desejo de conhecer o mundo? Então que tal descobrirem juntos as opções de carreira que podem levar a isso (como diplomata, relações internacionais); listarem quais as habilidades estas carreiras exigem e como é possível desenvolvê-las? Se a filha sonha em ter uma doceria, vale conversar sobre a importância de se entender mais sobre o que envolve a administração de um empreendimento. “Mantendo o tom motivador, os pais devem ajudar seus filhos a pensarem nas ações necessárias para se concretizar o que se deseja, como se é preciso aprender um idioma, por exemplo”, diz a professora da Universidade Federal do Paraná, Ivany Pinto Nascimento, complementando: “Vale, também, identificarem obstáculos que precisam ser superados ressaltando que eles compensarão; às vezes, o jovem não é afeito à informática por exemplo, mas a análise mostra que ter este conhecimento é importante; ele chegará a conclusão de que vale o esforço”.

  1. Não desmotivar

Os pais não devem se tornar agentes de desmotivação e “matar” o sonho do filho, mesmo que ele apresente uma visão fantasiosa de seu futuro ou que pareça inalcançável. Ao contrário, a mensagem deve ser sempre para impulsioná-lo. “Meu pai sempre me dizia: ‘filho, se você quiser, vai conseguir realizar. Pode ser que tenha que se dedicar um pouco mais, estudar um pouco mais, mas vai conseguir’. É esta a função dos pais: ajudar os filhos a cultivarem seus sonhos e também dar ‘uma regadinha’ de vez em quando para ajudar, perguntando de quando em quando se o filho evoluiu na ideia que tinha, como está pensando em realizar etc.”, defende o doutor em Educação Waldir Uller.

  1. Estimular a busca pelo “vital”

Seja qual for o desenho do projeto de vida de seu filho, os pais devem estimular, em suas conversas sobre como desenvolvê-lo, a busca do conceito de “projeto vital”. É levar à reflexão sobre o que mais aquele projeto de vida trará, além de uma carreira profissional ou estabilidade financeira. É importante conversar sobre qual a função social daquela atuação e como desempenhá-la será recompensador do ponto de vista da realização pessoal.

 

Leia mais em: http://educarparacrescer.abril.com.br/aprendizagem/projeto-de-vida-867404.shtml